Consciência Fonológica no Processo Educacional: O Que Podemos Fazer? - Ipecs

Consciência Fonológica no Processo Educacional: O Que Podemos Fazer?

30-08-18 admin 0 comentário

Consciência Fonológica no Processo Educacional: O Que Podemos Fazer?

Consciência Fonológica no Processo Educacional: O Que Podemos Fazer?
Suzelei Faria Bello
Fonoaudióloga, especialista em Psicopedagogia e Mestre em Educação Especial

Entende-se consciência fonológica como uma habilidade de tomada de consciência das características formais da linguagem alfabética. Refere-se, portanto, a consciência de que a fala pode ser manipulada e segmentada em níveis silábicos e fonéticos (BERTELSON, DE GELDER, 1989; CAPOVILLA,)

A habilidade de compreender que a língua falada pode ser segmentada em unidades distintas de frases, palavras, sílabas e fonemas como unidades identificáveis, além de que essas unidades podem também apresentar-se com diferentes significados e em diversas palavras, torna-se um processo preponderante para a construção do léxico fonológico consciente, tão importante para o desenvolvimento da leitura e da escrita.

Autores como Adams et al.(2006) apontam a importância das crianças compreenderem que os sons associados às letras são os mesmos sons da fala, sendo que no sistema de escrita alfabética, as pequenas unidades da fala são chamadas de fonemas e a consciência de que a língua é formada por unidades desses sons chama-se consciência fonológica. A consciência fonológica está relacionada ao êxito da aquisição da linguagem escrita, pois principalmente durante a fase inicial de alfabetização, a capacidade de pensar na escrita apóia-se na fala.

Por isso, a consciência fonológica é atualmente um assunto de grande importância, pois as crianças que são trabalhadas, no contexto educacional, com estratégias que propiciem essa consciência avançam de forma produtiva para o processo de aquisição da escrita e a leitura.

Diante disso, conhecer o processo de aquisição de fala e sua correlação com a aquisição da linguagem escrita e desenvolver diferentes estratégias, no cotidiano educacional, torna-se importante principalmente frente aos aspectos silábicos e fonéticos (ALMEIDA, et al.,2003).

Essas estratégias, resumidamente, envolvem identificação e produção de rimas, aliteração, segmentação de palavras e frases, bem como a segmentação de palavras em sílabas e palavras em fonemas.

Pode-se utilizar de atividades que envolvem a atenção auditiva, percepção e manipulação dos sons, tais como músicas; poesias; cantigas; parlendas e jogos orais; associar movimentos e sons, explorando rimas e percepção de sons semelhantes.

Visto isso, ressalta a importância do trabalho conjunto entre professores e fonoaudiólogos, dentro do contexto educacional, para que frente a temas importantes como este, possam potencializar as habilidades dos seus alunos e, sobretudo identificar com precocidade dificuldades que possam ser apresentadas dentro do processo de aquisição da linguagem escrita.

Bibliografia

ADAMS, M.J.; FOORMAN, B.R.; LUNDBERG, I.; BEELER ,T. Consciência fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre: Artmed; 2006.

ALMEIDA, E.L. C. de; DUARTE P.M. Consciência Fonológica: Atividades Práticas. Rio de Janeiro. Revinter, 2003.

BERTELSON, P.; DE GELDER, B. Learning about reading from illiterates. IN:

GALABURDA, A. M. (Org.), From reading to neurons (pp. 1-25). Cambridge, MA: The MIT.1989.

CAPOVILLA, A. G. S. ; CAPOVILLA, F. C. Treino de consciência fonológica e seu impacto em habilidades fonológicas, de leitura e ditado de pré-3 a 2a série. Ciência Cognitiva: Teoria, Pesquisa e Aplicação, 1(2), 461-532, 1997



Deixe uma resposta