Por que a memória falha? - Ipecs

Por que a memória falha?

30-08-15 admin 0 comentário

Por que a memória falha?

Ms. Kelly Karina Borges

Os setes pecados da memória ocorrem com frequência no cotidiano e podem ter consequências desastrosas para todos nós. A transitoriedade, a distração e o bloqueio são pecados da omissão. Nós não conseguimos, mesmo querendo, lembrar um fato, um acontecimento ou uma idéia. A transitoriedade está ligada ao enfraquecimento da memória com o passar do tempo. Uma pessoa provavelmente não esqueceu o que fez nas ultimas horas, mas se alguém lhe perguntar o que fez há seis meses, provável não se recordará de muita coisa. Na distração, a informação desejada não se perde com o tempo, pois nunca foi registrada na memória ou não foi resgatada no momento necessário, porque nossa atenção estava focalizada em outro assunto.

O terceiro pecado, o bloqueio, refere-se à busca frustrada de uma informação, que tentamos desesperadamente resgatar. A atribuição e a sugestionalidade estão relacionadas à confusão entre fantasia e realidade, ou lembrar incorretamente que um amigo lhe contou um fato inconsequente que na verdade ficou sabendo ao ler no jornal. A distorção reflete influências poderosas do nosso conhecimento atual e opiniões sobre o modo como nos lembramos do passado.

O sétimo pecado, a persistência, demonstra a recordação de informações ou acontecimentos perturbadores que gostaríamos de eliminar totalmente da nossa mente: lembrar-se do que não podemos esquecer apesar de querer esquecer.

Diante de tal constatação, nada mais coerente do que dosar as atividades diárias e procurar o equilíbrio em todos os setores da vida, especialmente o emocional. Este, inclusive, é um dos grandes pilares do ser humano. Importante também é manter uma boa alimentação, principalmente rica em vitaminas como frutas, legumes, grãos, etc. Outra medida eficaz é buscar um bom repouso e dormir bem. Boas noites de sono têm um valor muito grande e são revitalizantes. Contribuem para uma boa memória e, consequentemente, previnem o esquecimento. O cérebro descansado fica menos propenso a lapsos e outras desordens. Vale atentar também para a prática de exercícios físicos e a inclusão do lazer como prioridade. Na verdade, a prevenção do esquecimento está relacionada a um conjunto de medidas e não apenas a um fator isolado.

Schacter D.L. Os setes pecados da memória: como a mente esquece e lembra. Rio de Janeiro. Rocco.2003.



Deixe uma resposta